segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Jeff Buckley

Um dia desses, eu estava reparando em como já fazia algum tempo que eu não escutava alguma coisa que realmente me fizesse pensar: meu Deus, como eu não descobri isso antes? Aí eu vi o nome Jeff Buckley e pensei: esse nome me lembra alguém. Pois é, esse cara é filho do Tim Buckley que, por sua vez, foi outro importantíssimo músico americano.


Bom, Jeff saiu do colegial decidido a ser músico, e resolveu que seria guitarrista pra que não fosse comparado com seu pai. Porém, em um show em homenagem ao Tim Buckley em 1991, o que o Jeff fez? Pra surpresa de todos, ele cantou. Daí pra ser reconhecido e procurado por gravadoras foi um pulo. Em 1994, sai o álbum Grace, que é logo aclamado pela crítica e por vários artistas (entre eles, Paul McCartney, Bono, Chris Cornell e Jimmy Page. Já dá pra ver que não é coisa pouca, né?). Mas, nos Estados Unidos dos anos noventa, o mercado estava mais interessado no grunge e não no seu rock relativamente calmo. Sendo assim, Grace não foi exatamente um sucesso de vendas na época, mas é sempre citado como um dos melhores álbuns de todos os tempos.


Mas Jeff Buckley morreu cedo demais: em 29 de maio de 1997, com apenas trinta anos e trabalhando em um novo álbum, morreu afogado no rio Mississipi. No ano seguinte, foi lançando o álbum póstumo Sketches for My Sweetheart the Drunk, com as músicas nas quais estava trabalhando antes de morrer.


Enfim... quando comecei a ouvir o Grace (1994), já vi que era bom. À medida que as músicas iam acabando e outras iam começando, eu fui percebendo que era muito mais do que apenas bom. O cara tem uma voz limpa, e é inegável que cantava com sentimento. Sei que isso é uma descrição pobre e meio decepcionante, mas é basicamente o que eu tenho a dizer sobre Jeff Buckley. Acho que não consigo descrever muito em palavras porque a música dele é sentimento. Ele te transporta pra algum lugar que eu não sei exatamente qual é, mas que te deixa nostalgicamente feliz. A voz desse cara é de uma perfeição incrível.


Fica a dica. Ouça Jeff Buckley, porque vale a pena. Acho que não é necessário um motivo maior.



[não resisti e coloquei mais uma foto. afinal, o cara era muito bonito.]

4 comentários:

Emylianny disse...

Escutar Jeff Buckley é assim como uma maré de paz e calma pelo menos pra mim ...embora suas letras sejam densas ...aquela voz sussurrada e aqueles arranjos delicados ,suaves são simplesmente incríveis ..não soh uma profunda conhecedora de qm ele foi ou o que ele representou mas axu que escuta-lo já é um grande prazer...
Ameiii o post qse ninguém q eu conheço conhece o Jeff...
bjbjbj

Gusta Fernandes disse...

Vou seguir sua dica, e baixar uma musica dele pra escutar.

Eu provavelmente não o conheço (affe), mas se a musica for realmente boa, vai pro meu I-Pod com certeza!!!

Beijos Moony!

Daniel Savio disse...

Há, faz tempo que você não posta os teus texto no Status Quo...

Sempre há um cantor / música não descoberta pela população em geral, mas dá um gosto especial quando fazemos esta descoberta...

Fique com Deus, menina Moony.
Um abraço.

Larissa. disse...

Ai moony, você que me indicou e eu adorei. Que voz mais linda, melodia perfeita. Adorei!

Valeu pela indicação!

bjs
;**

 

Blog Template by YummyLolly.com