segunda-feira, 6 de julho de 2009

Gogol Bordello

É difícil falar em originalidade nua e crua hoje em dia, afinal, como eu disse no primeiro post deste blog, se tem uma coisa que sempre se reinventa, é a música. Uma influência daqui, outra d’acolá, uma pitada disso, outra daquilo... Tudo se mistura. TUDO.


Agora vamos falar um pouco de punk. Quando o assunto é esse, eu lembro imediatamente de Sex Pistols, The Clash e Ramones. E ciganos? Beirut, DeVotchKa e A Hawk And A Hacksaw [que acabei de conhecer]. Muito bem, agora é só juntar tudo isso e temos Gogol Bordello.


Calma, eu explico.


Gogol Bordello é uma banda de punk cigano [isso mesmo, você não leu errado] formada em Nova Iorque, em 1999. Seus integrantes são, na maioria, imigrantes da Europa Oriental.


Conheci a banda através do filme Uma Vida Iluminada [muito bom, por sinal]. Um dos protagonistas, ao lado de Elijah Wood, é o próprio vocalista do Gogol, Eugene Hütz. Eu não sabia que ele era cantor e também não o conhecia como ator, mas fui com a cara dele. Afinal, como eu disse, o filme é muito bom. E uma coisa que também me chamou atenção foi a trilha sonora.


Alguns dias depois, eu li a crítica do filme, porque eu tinha isso de só ler depois de assistir. Hoje nem tanto. Enfim... Na crítica, era citada o nome da banda do Eugene Hütz e eu gravei aquele nome na memória [não sei como, porque minha memória é um desastre]. Daí, muito tempo depois, eu ouvi uma música, e mais outra, e quando vi já tinha baixado o álbum Multi Kontra Culti vs. Irony (2002).


Eles não inventaram o punk, nem a música cigana, mas não venha me dizer que juntar os dois e transformar essa mistura numa coisa maravilhosa não é original. É sim, e muito. É estranho? É, e muito. E olha que eu já ouvi muita coisa estranha na vida.


Uma das coisas mais bonitas de se ouvir e que é muito presente no folk americano influenciado pela música cigana e pelo som do leste europeu é a dupla acordeom & violino. Uma banda que eu poderia citar como ligeiramente parecida com Gogol seria DeVotchKa, e, claro, ainda são estilos bem diferentes. É engraçado como esse som do leste europeu tem feito tantos “filhos” nos Estados Unidos.


Gogol Bordello tem o som pesado do punk, tem guitarras, tem bateria, tem performances teatrais malucas, tem os acordeons, os violinos, a melancolia na voz, o sotaque fortíssimo do Eugene Hütz que é uma maravilha [experimenta ouvir esse cara dizendo Let’s Get Radical!], e ainda consegue ser engraçado ao misturar isso tudo.


Pra vocês verem a diversidade cultural presente na banda, os integrantes:


Eugene Hütz (voz, violão, percussão) – Ucrânia

Sergey Ryabtsev (violino, vocal de apoio) – Rússia

Yuri Lemeshev (acordeom, vocal de apoio) – Rússia

Oren Kaplan (guitarra, vocal de apoio) – Israel

Thomas Gobena (baixo , vocal de apoio) – Etiópia ( !! )

Eliot Ferguson (bateria, vocal de apoio) – Estados Unidos

Panela Jintana Racine (percussão, vocal de apoio, dança, performance geral) – Tailândia/EUA ( !! )

Elizabeth Sun (percussão, vocal de apoio, dança, performance geral) – China/Escócia ( !! )

Pedro Erazo (percussão, MC) – Equador

Stevhen Iancu (acordeom) – Japão/Romênia ( !! )


Original, cigano, bizarro, sem deixar de ser rock.

1 comentários:

Sofih disse...

Sex Pistols, The Clash e Ramones (Looove)
Tá, quando leio "punk" enxergo algo sinstro, mas escuto coisas muuuito legais!! =)
Beijos

 

Blog Template by YummyLolly.com